domingo, 9 de dezembro de 2012

Conto: 24 horas para o fim do mundo

Nada de arrependimentos, nada de culpa, nada de desculpas. É o último dia de nossas vidas e iremos vivê-los como sempre sonhamos viver nossa vida inteira. Será um desafio resumir os anseios de décadas em apenas 24 horas, mas nós conseguiremos, sim, nós conseguiremos.
Grite que me ama e deixe que este sentimento ecoe  por todos os corações apaixonados, levante as mãos, se liberte deste corpo, sinta a música, não se culpe... apenas voe. É o último dia de nossas vidas e não quero morrer me sentindo incompleto. Se falta algo iremos atrás pra preencher, chega de vácuos, de meias palavras, chega de vazios. Apenas sinta a brisa no rosto, grite que me ama e deixe este sentimento te levar.
Já posso sentir o cheiro  do paraíso, ele está tão próximo de nós, nunca pensei que seria tão fácil alcançá-lo... que bom que estou com você.
Te amo, acho que nunca havia dito isso, aliás, acho que nunca te disse tanta coisa... por um momento cheguei a pensar que poderia morrer engasgado por minhas próprias palavras, principalmente por aquelas que nunca cheguei a dizer. Mas não morri, você me salvou, que bom que está aqui, que bom que estamos vivendo isso.
Quero te beijar, e quero que tal momento dure a eternidade, pois preciso descobrir cada canto da tua boca, cada canto que tanto sonhei em atingir mas não tive a oportunidade. E que seja intenso, e que seja quente, e que nos falte o ar. Vamos escrever nossa própria história, pintar nosso destino, trilhar um caminho onde não há o amanhã.
Apenas levante as mãos, sinta a música, se livre da culpa e deixe o sentimento te levar. Minha boca na sua boca, meu cheiro com teu cheiro, meu corpo colado ao teu. É o último dia de nossas vidas e não poderia pensar num jeito melhor de passá-lo que ao seu lado. Junte todos os seus problemas, coloque-os  num saco e jogue-os ao vento... preciso de você livre. Está ouvindo este barulho? Parece o de ondas do mar, parece o de canto dos pássaros... Segure minha mão e caminhe, dentre pouco chegaremos ao paraíso.

domingo, 2 de dezembro de 2012

Entretenimento - 'Vale a pena conhecer: Física o Química'



Nós, jovens brasileiros amamos seriados, quanto a isso não há dúvidas. A falta de produto nacional de qualidade nos faz ir atrás de entretenimento produzido por outros países, principalmente Estados Unidos. Se você assim como eu ama séries e está afim de conhecer uma série nova e que fuja do 'padrão americano' não pode perder esta dica: assista Física o Química.

A série
Física o Química é uma série adolescente produzida na Espanha e exibida pelo canal espanhol Antena 3 entre 2008 e 2011, teve 7 temporadas de enorme sucesso, chegando a ser líder de audiência no país em vários episódios. Algum tempo após começar a ser exibida na Espanha, Física o Química passou a ser exibida em diversos países europeus, inclusive Portugal, onde obteve grande êxito.
Na Espanha cada episódio teve em média 1:20hrs de duração, já em Portugual cada episódio foi dividido em dois, dobrando o número de episódios por temporada.

O enredo
Ao contrário do que muita gente pensa, Física o Química não é uma série homossexual. Na verdade, dentre todos os personagens há apenas um casal gay. Porém, assim como acontece em séries como Glee e Skins, os casais gays geralmente acabam chamando mais atenção do que os demais personagens, e foi isso que alimentou a falsa fama da série.
A série é narrada sobre dois pontos de vista diferentes: do ponto de vista dos professores do colégio, e do ponto de vista dos alunos.
Na primeira temporada os professores são: Irene, Blanca, Olímpia, Jonathan, Roque e Félix. Já os alunos se chamam: Fer (Fernando), Isaac, Julio, Cova, Paula, Yolli, Jan, , Rúben, Ruth, Gorka e Cabano. Assim como em outras séries há uma rotatividade de personagens ao longo da temporada, porém estas mudanças são feitas de maneira sutil para não afugentar o expectador.

Os personagens:

Fer e David, o casal mais famoso da série
Irene é uma jovem professora que acaba se apaixonando por seu aluno Isaac o que gerará uma série de problemas. Blanca é divertida, engraçada e sempre tenta ajudar as pessoas, porém na maioria das vezes quanto mais ela tenta ajudar mais atrapalha. Fer é gay e sofre muito por causa disso, uma série de acontecimentos fazem com que ele se aproxime de Julio, por quem acaba criando uma paixão platônica e não correspondida já que Julio não é gay. Por falar em Júlio, o jovem sofre muito para tentar entender o que levou seu irmão mais novo, Rúben, a cometer suicídio. A descoberta dos motivos envolvem diretamente Gorka e prometem muito drama do meio para o fim da primeira temporada. Paula se vê dividida entre dois amores: o meigo e problemático Jan e o popular e misterioso Cabano. Ruth tem uma relação muito complicada com seus pais, mas uma reviravolta no meio da série a fará enxergar as coisas de uma maneira diferente. Porém, nem esta nova maneira de pensar a impedirá de se envolver em uma relação de amor e ódio com Gorka.


A simpática  e atrapalhada professora Blanca
Graus de afinidade:

Fer, Julio e Cova se tornam grandes amigos.
Cabano é melhor amigo de Gorka que namora Ruth.
Irene se envolve com Isaac que é irmão de Paula.
Blanca se apaixona pelo colega de trabalho, o professor de Educação Física Jonathan.
Olímpia é casada com Félix mas se apaixona por Roque, o que causará enormes transtornos.
Clara e Adolfo são os diretores do colégio.



Curiosidades:

  • Na terceira temporada o personagem David entra na série para fazer par romântico com Fer. O desfecho da história dos dois no final da sétima temporada gerou enorme polêmica na Europa e foi o principal motivo que ocasionou o fim da série.
  • Já está quase tudo certo para o inicio das gravações da versão americana de Física o Química que provavelmente começarão em 2013.
  • Em Julho de 2012 a série voltou a ser exibida na Espanha, o que gerou boatos de que a série iria ter uma oitava temporada. O canal Antena 3, porém, não se manifestou a respeito.
  • É inevitável não notar as semelhanças entre Física o Química e a série britânica Skins, porém, como as duas séries estrearam praticamente no mesmo período, os boatos foram sufocados e posteriormente esquecidos.
  • O SBT comprou os direitos da série e já dublou mais da metade dos episódios, porém não há previsão de estreia aqui no Brasil.

Onde assistir:
Infelizmente nenhum site brasileiro legendou os episódios de Física o Química, porém é possível assistir aos episódios com legenda em Português de Portugal no Youtube.


Quem preferir assistir à série no áudio original (em espanhol), pode fazê-lo através destes links:
Ficou curioso? Então não deixe de conferir esta dica e depois conte-me o que achou da série!
E se você quiser ficar por dentro do que acontece em Física o Química a não deixe de curtir a página no Facebook que fiz especialmente para os fãs brasileiros da série: Física o Química Brasil


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Crônica: Automático

O botão automático está ligado, ou melhor, está travado. Já não tenho controle sobre meu corpo, me sinto um intruso dentro de mim mesmo. Indo e vindo por aí, seguindo a rotina, cumprindo tarefas corriqueiras e distribuindo sorrisos vazios.
Eu já não sou mais eu, mesmo ainda sendo... Vivo uma vida que em nada lembra tudo o que ansiei viver. Boiando num mar de inércia, lutando contra a maré, tentando ancorar num porto seguro. Porto este que nunca vi, só ouvi falar.
E de nada adianta sonhar com um futuro brilhante se não há brilho no presente... Eu, robô programado pra viver conforme mandam os anseios da vida moderna apenas aceno e sorrio. E se falam comigo apenas aceno e sorrio, e se me ignoram apenas aceno e sorrio... Apenas mais um no meio da multidão.
Nem sei o motivo de estar agora escrevendo tais palavras, observando minhas mãos percorrerem o teclado na busca frenética por formar palavras que expressem algo do que estou sentindo. Inútil. Palavras, mesmo com toda sua plenitude, são facilmente descartáveis quando nos oferecem algo melhor.
Eu, um robô de carne e osso que aprisiona dentro de si um restinho de fé no futuro, desejo mais do que tudo que, em um dia desses, alguém chegue como quem não quer nada e destrave o botão automático. Ai quem sabe poderei deixar de apenas acenar e sorrir pra correr por ai dando gargalhadas. Ai quem sabe poderei deixar de apenas acenar e sorrir pra sair por ai abraçando as pessoas. Ai quem sabe poderei deixar de apenas acenar e sorrir pra me preparar pra te encontrar. Ai quem sabe as coisas passarão a fazer sentido.
Numa tarde qualquer, dum dia qualquer a magia poderá acontecer. Sentirei meu pulmão vibrar, meu coração pulsar e minha voz ecoar: "Fui libertado, estou vivo!
Minha mente facilmente programável se esquecerá destas palavras em poucos minutos...  já você, por favor não se esqueça.




93 Million Miles - Jason Mraz (tradução)
Toda estrada é uma subida escorregadia
Mas sempre haverá uma mão na qual você pode se segurar.
Olhando profundamente pelo telescópio
Você poderá perceber que seu lar está dentro de você
Apenas tenha certeza de que onde quer que você vá
Não, você nunca está sozinho.



sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Conto: Tarde demais

Um olhar mais desavisado se atreveria a pensar que era apenas mais um nascer do sol como outro qualquer, mas não era. Ele se levantou decidido, firme, como há muito tempo ninguém o via. Sentou-se na mesa da cozinha, com a xícara de café entre os dedos... deu dois goles e deixou o resto. Pegou sua caneta, seu papel,  respirou fundo e começou a escrever:

"Eu nem sei como te dizer isso, mas sinto sua falta. Eu sei que não tenho o direto de dizer isso, sei que fiz minha escolha ao te deixar pra trás,  mas é que dói tanto, a essa altura perceber que fiz a escolha errada e que não quero mais estar onde estou. Dói ter deixado junto contigo todos aqueles sonhos, todos aqueles planos e todas aquelas risadas. Dói ter deixado a vida passar e nem perceber, querer e não poder ter, sentir a alma secar.
Estou aqui pra dizer que te quero de volta, agora, já que não posso mais esperar. Venha e traga contigo toda aquela vitalidade, toda a doçura, toda a vontade de encarar o futuro de peito aberto. Venha que já não aguento mais viver de lembranças, num devajú que parece não ter fim.
Eu mereço mais uma chance, uma última chance e prometo que dessa vez farei tudo direito, ou errarei, mas errarei tentando acertar.
Te aguardo ansioso, de corpo e alma abertos. Faça o que quiser comigo, desde que me tire daqui. Rápido, urgente, agora ."

Voltou a pegar a xícara, virou garganta abaixo o resto de café,  dobrou o papel em que acabara de escrever e colocou dentro de um envelope. Estava orgulhoso de si mesmo por ter conseguido vencer o orgulho e escrever tudo o que escreveu. A parte mais difícil havia passado, agora restava-lhe descobrir como enviar a carta a si mesmo.

É, você percebe que cresceu quando sua alma grita para ter de volta a criança que um dia habitou seu corpo.











'Esta noite nós somos jovens
Então vamos colocar o mundo em chamas
Nós poderemos queimar mais que o Sol...
Leve-me para casa esta noite
Apenas leve-me para casa esta noite...' 
(Fun. -  We are young)



terça-feira, 18 de setembro de 2012

Conto: Algo sobre a semente do amor


Era como se a vida dele tivesse se tornado um solo infértil. Era com se ele fosse capaz de prever exatamente tudo o que estivesse por acontecer, afinal, não iria acontecer mais nada. Era como se aquele pedaço de terra que ele havia se transformado, retratasse fielmente tudo o que ele passou. Passou.
Ninguém, aquela altura, acreditava que algo pudesse ser feito para ajudá-lo. Sua vontade havia secado, seus sonhos haviam secado e como a esperança precisa de solo fértil para germinar, também havia secado.
Até que em um dia desses, repentinamente, ela olhou pra ele. De início sentiu uma secura tão grande que o mais prudente era se afastar. Mas não conseguiu, era tarde demais. Seu coração sentia  a necessidade de ajudar aquela pobre alma seca, sem sonhos e sem planos.
Dia após dia cuidou daquela terra seca em que ele havia se transformado. Regou, arou, preparou o solo cuidadosamente e sem pressa. Ninguém que olhava aquela cena acreditava que ela conseguiria fazer nascer algo de bom dele. Mas como bem sabemos, paciência é uma virtude que poucos tem, ela tinha.
E foi com enorme paciência que, quando viu que já era hora, ela plantou nele uma pequena sementinha. E cuidou, cuidou dia após dia.
Os outros já o olhavam diferente, não era mais pena, era uma coisa ruim que os incomodava. Todos queriam alguém que cuidasse de suas terras secas tão bem quanto ela cuidava da terra dele. Mas não encontravam ninguém. Tamanha era essa coisa ruim que fez com que nascesse ao redor da sementinha dele varias ervas daninhas. Ela se desesperou. Todo dia pela manhã quando ia cuidar da sementinha dele, lá estavam elas, as ervas. Ela as arrancava com força, mas era inútil, manhã após manhã, lá estavam as ervas daninhas.
Foi ai que ela resolveu acampar ao lado da sementinha dele, não permitindo que ninguém plantasse ai qualquer tipo de coisa que prejudicasse o crescimento do que ela havia cultivado com tamanha destreza.
Até que em um dia desses,  um dia desses que ninguém espera que aconteça nada o mágico aconteceu. A sementinha brotou.
A partir daquele dia, a planta só fazia crescer. E enraizar. E embelezar o coração daquele homem, antes seco, hoje cheio de vida. E ela, ela se sentiu tão orgulhosa de seu feito que não conseguiu sair de perto daquela plantinha nunca mais. A planta deu frutos, contagiou cada canto daquele planeta azul. Ninguém precisava mais sentir aquela coisa ruim. Até o dia em que a planta secou, e eles secaram juntos. Mas o legado que ela deixou permaneceu pra sempre, e pra cada ato dela mais tarde atribuiu-se um nome. O conjunto desses nomes ficou conhecido como sentimentos. Ao ato de plantar e cuidar da semente, não deixando que ela morra mesmo com tudo conspirando contra, foi atribuído o nome de amor. 


"O amor é uma semente presente em todo lugar, o difícil é encontra alguém com disposição para cuidar dessa semente."


segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Crônica: Minhas rachaduras

Abracei esta solidão que me domina e fiz as pazes com a vida.
Juntei meia dúzia de sentimentos necessários e os guardei no lado esquerdo do peito... quanto ao resto, me desfiz. Me desfiz das lembranças, das angústias, me desfiz da ilusão de que a vida não é feita de ilusões e de que podemos passar por ela e sair inteiros. Não, nós não podemos. Mas podemos, a todo momento, tentar colar os pedaços. Colei os meus e colei tão perfeitamente que, de longe, é impossível perceber as rachaduras.
Me sinto tão mais leve. Parece que depois de colados os pedaços, o vento consegue atravessar os espacinhos que ficaram. É tão relaxante, a todo instante sinto meus pés sairem do chão, penso que agora sim posso voar... ou pelo menos dar asas a minha imaginação. Agora não tenho mais todo aquele peso que vinha carregando, e o pior é me dar conta de que era tudo tão desnecessário... nem sei como pude suportar por tanto tempo. Não importa mais, daquilo só restaram minhas rachaduras, que apesar de visíveis estão tão bem coladinhas que dificilmente alguém voltará a soltá-las, dificilmente alguém conseguirá me quebrar novamente.
Já não me importo mais por essas tardes que passo só, eu e minhas rachaduras. Se tenho meu café, meus livros e minha inabalável convicção de como é bom estar vivo, então tenho tudo. Fico feliz pelo rumo que as coisas estão tomando, fico mais feliz ainda por ter mudado minha concepção do que significa 'tudo'. E é com esse novo significado de 'tudo' que tenho certeza que tenho tudo o que preciso pra ser feliz porquê tudo o que eu preciso pra ser feliz também precisa de mim.


 
Infinito (Fresno)
Mas se eu pintar um horizonte infinito
E caminhar do jeito que eu acredito
Eu vou chegar em um lugar só meu...
Lá pode ter um novo amor pra eu viver,
Quem sabe uma nova dor pra eu sentir,
A droga certa pra fazer te esquecer,
E apagar a tua marca de mim.
Tudo pode estar lá...


domingo, 29 de julho de 2012

Poema: Confissão

Eu menti quando disse que seu beijo era o melhor que eu já havia provado
Menti quando falei que gostava do teu jeito abobado.
Eu menti quando te abracei e não queria te deixar partir
Menti todas as vezes que te fiz rir.

Eu menti em todas aquelas cartas, poemas e músicas de amor

Menti quando te falei da minha dor
Eu menti quando sorria tímido pra você
Menti quando disse que esse sentimento aqui dentro só fazia crescer.

Eu menti daquele dia na praia, menti daquele dia na praça, menti daquele dia no parque...

Menti quando falei que foram os melhores dias da minha vida.
Eu menti quando disse que adorava fazer amor no meio da madrugada
Menti, menti por nada.

Eu menti tanto que nem consigo mais lembrar,

Menti sobre mim, sobre nós, sobre o amor e sobre amar.
Menti tantas vezes que confrontar a verdade até desanima
Acima de tudo, nunca menti tanto quanto nos versos acima.

Dentre todas as mentiras que já disse a mim mesmo tentando me convencer

A mais estúpida foi dizer que conseguiria te esquecer.
Sou um mentiroso que sofre noite e dia de forma contida
Um eterno errante que viu em você a única verdade da vida.

É verdade.


(revisado em: 30/09/2013)
                  

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Conto: A guerra acabou

Se lembra da primeira vez que nos vimos? Era como se nos conhecessemos há séculos, talvez há vidas. Meu coração explodia numa tentativa clara de me dizer que estava diante da pessoa certa.
Não tínhamos nada em comum além da vontade de estarmos  juntos... isso era o suficiente. E foram tantos abraços, tantas risadas, tantos momentos que me recuso a jogar tudo pro alto.
    A guerra acabou e estou aqui, diante de ti, levantando bandeira branca. Por mais que as coisas tenham saído do controle, demorei a vida inteira pra encontrar alguém como você e agora que achei não vou deixar que você se vá. Será que você não entende que separados não somos nada e que sem você fico sem chão?
    A guerra acabou mas vou continuar lutando bravamente, a cada segundo que me restar, até meu último suspiro pra não deixar que nosso amor morra. Estou abandonando meu escudo de orgulho e me entregando de corpo e alma. Faça o que que quiser comigo, conosco, só não me peça pra desistir de nós pois eu não desistirei. Não cometerei o mesmo erro novamente deixando minha felicidade nas mãos do acaso.
    Não, eu não desistirei de nós e farei o que for preciso pra que você também não desista. Olhe para o céu, veja nossos nomes escritos nas estrelas, as mesmas estrelas que aparecem toda noite pra nos mostrar que pertencemos um ao outro, pra nos mostrar que não importa quão escuras pareçam as coisas, há sempre pontos de luz.. Você e eu somos pontos de luz e só quando estamos juntos conseguimos brilhar.
    Não, eu não desistirei de nós e segurarei sua mão até essa tempestade passar. Por mais sombria que seja a noite ela não resiste ao nascer do sol. Acalme-se pequena, apenas confie em mim e me abrace pois o sol está quase nascendo. Me dê sua mão e segure firme, o sol já vai nascer. 
    A guerra acabou, não há mais contra o que lutar. A guerra acabou e só depende de nós fazer com que nosso amor vença.





I won't give up (tradução)
E no fim, você ainda é minha amiga, 
Pelo menos não tivemos má intenção 
Para funcionarmos, não quebramos, não queimamos
tivemos de aprender a ceder sem ceder à pressão do mundo
Tive que aprender o que tenho,o que sou e quem sou
Não desistirei de nós
Mesmo se os céus ficarem violentos
Estou te dando todo meu amor
Ainda olho para cima.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

'É hora de desembarcar!'


(Discurso de despedida em homenagem ao 3º semestre de Administração, período tarde, da Escola Técnica de Poá/Junho de 2012)

Nossa história começou a ser escrita naquela tarde ensolarada do dia 21 de novembro de 2010 se lembram? O nosso destino começou a ser traçado ali. Ninguém sabia o que esperar do futuro, era tudo tão novo que dava até frio na barriga. Eis que naquele 7 de fevereiro de 2011 finalmente nos encontramos, não sabíamos ao certo porque estávamos ali, mas sentíamos que era ali  que deveríamos estar.
         Passei esses últimos dias pensando numa palavra que nos definisse, procurei, procurei mas nada... Foi ai que percebi que a palavra certa estava na minha frente o tempo todo: amizade. Sim, só mesmo a amizade seria capaz de nos manter unidos esse tempo todo e foi a amizade que nos transformou numa das turmas mais elogiadas  da escola. Graças a amizade vivemos momentos inesquecíveis, e foram muitos momentos não é verdade?
         Como esquecer o nervosismo do nosso primeiro seminário?  E o trabalho que deu implantar um ISSO numa empresa? Como esquecer a loucura que foi organizar um evento como a Feira do Administrador? Como esquecer o quão marcantes foram todas as vezes que  pudemos sair juntos? Como esquecer a visita à Natura, à Nestlé, a Bolsa de Valores, a TV Band e ao Parque do Ibirapuera?
Como esquecer as dinâmicas de grupo, as casinhas pros aniversariantes e os fins de semana gastos na preparação do TCC?
         Como esquecer as risadas da Sarah, o gênio forte da Thaís, a desenvoltura do Jonathan e a capacidade artística do Dalton? Como esquecer o carisma da Mari, o sorriso marcante da Júlia, o estilo inconfundível da Laís e a admirável organização da Wane?
         Não, não há como esquecer nenhum de vocês, não há como esquecer nenhum de nós... sem dúvida fizemos história. Perdoe-me as outras turmas mas nenhuma outra sala cativou e uniu tanto as turmas de Adm e Infonet quanto a nossa... E nossa união contagiou até os alunos de Caçapava não é mesmo?
         Não podemos deixar de agradecer a pessoas fundamentais na construção desses 18 meses de amizade: nossos professores. Cada um, a seu modo, nos ensinou algo que levaremos pra sempre. Lá no futuro, queridos professores, vocês ainda vão ouvir falar muito de nós podem anotar. E quando este futuro chegar olharemos pra trás e diremos a vocês: ‘Obrigado, graças a vocês chegamos aonde chegamos!’
         E nunca antes viu-se uma sala com personalidades  tão marcantes e diferentes quanto a nossa. Se isso fosse uma novela e este fosse o último capítulo seria praticamente impossível definir os protagonistas dessa história. Isso porque todos nós tivemos a oportunidade de brilhar, e brilhamos! Brilhamos sem precisar, em nenhum momento, ofuscar o brilho dos outros...volto a repetir: isso se chama amizade!
         E que esses 18 meses tenha nos servido para mostar que administração não era nada daquilo que imaginávamos, e que mesmo assim valeu a pena cada segundo. Que esses 18 meses tenham servido para mostrar que as vezes precisamos desistir daquilo que planejamos se quisermos viver aquilo que nos aguarda. Sonhar é bom, mas realizar é muito melhor. Portanto, realizem-se!
         E que a vida nos leve longe, tão longe quanto desejamos chegar. Mas que acima de tudo ela nunca nos deixe esquecer os motivos pelos quais chegamos onde chegamos e as pessoas que nos ajudaram a chegar lá.
        
         Uma vez, lá no primeiro semestre, fizemos a dinâmica do barquinho se lembram? Cada um deveria pegar o barquinho de papel e dizer por que estava entrando a bordo do curso de administração. Pois bem, um ano e meio e muitas turbulências depois, é com grande alegria que digo a vocês; ‘Chegamos, é hora de desembarcar!’







sexta-feira, 1 de junho de 2012

Conto: Alguém que eu conheci

 De repente me vi sem saída, não havia outra coisa a ser feita além de fazer. Depois de um balanço dos prós e contras cheguei a conclusão que precisava te esquecer.

Já faz tempo que estou merecendo uma daquelas limpezas completas de mente e coração. Parar de viver nas nuvens, voltar a tocar o chão. Nos últimos tempos tudo o que eu fazia era empurrar sujeira pra debaixo do tapete, sua sujeira, não minha. Já não cabe mais nada lá, há muito tempo não cabia, eu é que insistia em continuar colocando.

Eu vou te deletar, e dessa vez não será apenas das redes sociais. Você acha que não sou bom o suficiente pra você e tem razão, eu valho muito mais.

Chega de noites sem dormir, chega de frases de efeito, chega de submissão, agora sim vou dar um jeito. Apesar dos pesares, aprendi muito com tudo isso. Me toquei que só quando nos livramos daquilo que não nos faz bem é que temos chance de ficar bem. As coisas fluirão naturalmente pra quem acredita nos poderes do tempo. Eu acredito, e muito, até porque não tenho mais nada a perder.

Entendi que um dia a dor passa e as lembranças são esquecidas,  entendi que o coração de um guerreiro é sempre capaz de se entregar a novos sonhos, novos planos e novas promessas. O coração de quem luta é sempre capaz de amar outra vez. Essa é a grande recompensa do amor: renascer sem precisar morrer.

Eu vou te deletar, e dessa vez não será apenas das redes sociais. Vou ser a mudança que quero no mundo, vou conquistar aquilo que me satisfaz.

Te desejo em dobro tudo o que você me desejou. Se foi paz terás paz, se foi ódio terás ódio, se foi amor terás amor. Fiz um trato com o tempo e ele há de cumprir. Ontem você era a inspiração dos meus versos. Hoje é o motivo das minhas lágrimas. Amanhã será apenas alguém que eu conheci.



Somebody That I Used To Know - Gotye
(tradução)
Mas você não precisava me cortar
Agir como se nunca tivesse acontecido
E que não éramos nada.
E eu nem preciso mais do seu amor,
mas você me trata como a um estranho
e isso é tão duro.
Não, você não precisava descer tão baixo
Fazer seus amigos recolherem os seus discos
E depois mudar o seu número,
Embora eu saiba que eu não preciso mais disso
Agora você é apenas alguém que eu conheci.


domingo, 13 de maio de 2012

Conto: Nostalgia

Gustavo e Rodrigo chegam em seu apartamento, foi uma noite e tanto... Enquanto Rodrigo vai se banhar, Gustavo senta-se na cama. Ao olhar para a mesa de cabeceira observa uma folha de papel aberta presa ao abajur. Ele pega o papel, era uma carta. Começa a ler...

Sabe, te ver com outro foi sem dúvida um dos momentos mais difíceis da minha vida. Admitir que agora não mais o dono do seu sorriso não foi fácil e acho que nunca será. 
Mas acredite, eu amadureci com isso tudo. Mesmo você não acreditando mais em mim eu te garanto que não sou mais o tipo errado de tempos atrás, apesar de a essa altura isso já não faz a mínima diferença...
Devo admitir que seu novo  relacionamento parece estar dando certo, dizem por ai que ele é um cara legal. Espero que seja mesmo, pois você não merece sofrer outra vez.
Deves estar se perguntando o porquê dessa carta. Na verdade não sei te responder, é que de repente me dei conta de que não me resta mais nada além das lembranças dos momentos que passei com você. Queria que você soubesse que cada sorriso, cada abraço, cada beijo... está tudo guardado num lugar tão protegido aqui dentro de mim que até tenho medo de não ter mais acesso a eles. Ainda me assusto quando estou fazendo algo de interessante e penso em como gostaria que você estivesse ali comigo, mas logo sou tomado por um vazio inexplicável, mais ou menos traduzido numa frase: '... não, ele não está mais aqui.'
E foi tão difícil sabe, fingir que nada aconteceu, ter que sorrir quando alguém , por descuido ou inocência, vinha me falar sobre você. Achei que ia desmoronar. Mas não se preocupe... já estou me reconstruindo aos poucos.
Torço para que um dia nós enfim percebamos que a vida não era nada daquilo que imaginávamos e que mesmo assim vale a pena viver. Torço para que você seja tão feliz quanto merece ser. Torço para que perdoe todas as vezes que te fiz sofrer, e torço pra que entenda que nunca mais serei capaz de amar alguém tanto quanto amei você.
Acima de tudo torço para que nós dois ainda possamos lembrar com carinho um do outro toda vez que olharmos pro céu. E é pra conservar pelo menos o que restou de bom da nossa história que resolvi partir.
 Adeus meu pequeno,
P."

Gustavo termina de ler a carta e visivelmente emocionado aperta-a contra seu peito. Levanta-se, vai até a janela e começa a olhar o céu. Rodrigo chega, abraça-o por trás e pergunta:
- O que foi meu querido?
Gustavo disfarçadamente coloca a carta no bolso e responde:
- Nada não, é que a lua esta tão bonita hoje não está?

sábado, 7 de abril de 2012

Conto: Eu, você e o tempo

     Eu nunca fui o garoto mais bonito, nem o mais popular e muito menos o mais inteligente. Eu nunca soube tocar nenhum instrumento, nem praticar esportes, nunca fui de falar em público e nem a melhor pessoa do mundo pra tomar atitude. Mas uma hora o amor chega pra todos nós, e a minha hora chegou quando você apareceu em minha vida.
     Me perdoe por não ter tentado me aproximar, e por não ter dado grandes provas do meu amor. Me desculpe por gostar de você desse jeito tão torto que até dá a impressão contrária do que eu realmente quis te mostrar. Mas as pessoas tem formas diferentes de reagir ao amor e a minha não foi das melhores. É que sei lá, achei que pudesse te dizer sem precisar falar entende? Pensei que apenas meu jeito de ser seria suficiente pra tocar seu coração. 
     Pelo visto não foi. Pelo visto você não percebeu, ou talvez até tenha percebido mas não sabia o que fazer a respeito. Não o culpo, não me culpo... na verdade não culpo a ninguém. Sou daqueles que acham que o amor faz vítimas e não culpados.
     Estou tentando seguir em frente, juro que estou. Como diria Caio Fernando Abreu: 'Eu continuo. Apesar da saudade. Apesar de me sentir pela metade. Continuo porque é o que resta. Aprendi que se a gente não levar a vida, ela nos leva de qualquer jeito.'  
     Só quero que saiba que você continua lá, ocupando uma prateleira toda no meu coração. Talvez o tempo passe, talvez um outro alguém apareça e faça com que você vá para a parte de trás da prateleira. Mas sossegue menino, pois mesmo empoeiradas, mesmo desgastadas as lembranças de você em mim estarão sempre lá, guardadas e intocáveis. Até porque o tempo tem o poder de levar consigo as dores, mas não leva as cicatrizes.
     Quem sabe um dia, lá na frente nossos caminhos se cruzem novamente. E se isso acontecer não importa o quão empoeirados e desgastados estejam meus sentimentos por você, eu me arriscarei a sentir e viver tudo novamente. Sei que vou sofrer... mas a verdade é que não me importo, pois quando a felicidade está em jogo, sofrer é apenas um detalhe necessário. 


    

domingo, 18 de março de 2012

E agora?

Eu confesso... fui um tolo. Tentar manter uma distância confortável 'disso tudo' me pareceu o caminho mais fácil e o que menos faria sofrer. Quando digo 'isso tudo' falo de tudo que envolve você, seus vícios, manias, planos e sonhos que de alguma forma eu achei estar imune. Mas não estava...
De repente percebo o quanto de você há em mim e isso me assusta. Não sei mais como será daqui pra frente...
Te juro que se eu soubesse em que momento a minha vida começou a fugir do controle eu tentaria fazer diferente. Mas talvez ela nunca esteve realmente controlada era você quem ordenava o descontrole.
E agora? E eu? E você? E nós?
Será que meu destino daqui pra frente será envelhecer sentado numa mesa escrevendo meia dúzia de estrofes vazias? Pra quê? Pra quem? Não consigo imaginar outra fonte inspiradora que não você...
E agora? E eu? E você?  E nós?
 Me sinto mais perdido do que nunca, mais descontrolado do que nunca, mais sozinho do que nunca. E o pior é que meu único remédio é você.
Sim! Meu único remédio é você! Você e ninguém mais!  E eu gritarei ao mundo se preciso for, você só precisa me dizer que não é tarde demais. Não tenho medo, não mais.
E agora?
... agora deixarei de lado o orgulho e correrei pra perto de ti de volta pro nosso cantinho.
E eu?
... eu serei o homem mais feliz do mundo por ter de volta seu carinho.
E você?
... você acreditará que nunca mais te deixarei sozinho.
E nós?
... nós voltaremos a ser aquele lindo e perfeito casal imperfeitinho.
Porque nunca é tarde pra voltar atrás quando se ama. E por nós dois eu voltarei quantas vezes for preciso. Não tenho medo, não mais.