quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A pessoa certa pra você


Calma rapaz, não adianta tentar apressar as coisas, faça o que estiver a seu alcance e deixe que a vida se encarregará do resto. Eu sei que às vezes pode parecer difícil de suportar, ter que conviver com overdose de felicidade alheia e tentar passar a imagem de alguém imune a tudo isso. Mas é necessário, sua hora vai chegar... mas você precisa estar preparado para ela.

A pessoa certa pra você gostará justamente de tudo o que as outras odeiam em ti.
A pessoa certa pra você te dará um apelido que te irritará muito
Mas que mesmo assim você gostará de ouvir.
A pessoa certa pra você compreenderá o seu sorriso e saberá o que dizer quando perceber que ele não é de felicidade.
A pessoa certa pra você te fará fugir da realidade.
A pessoa certa pra você amará suas caras e bocas, seus vícios doidos e seu jeito de enxergar a vida.
A pessoa certa pra você não conseguirá explicar o que sente, apenas sentirá.
A pessoa certa pra você aparecerá.
Se não aparecer, primeiro você inventa, e se reinventa e aprende a se gostar.
Só não pode deixar de amar, e acreditar, e sonhar...
Que a pessoa certa pra você ainda chegará.
E te fará entender que amor não era nada daquilo que você imaginava
E que mesmo assim é viciante, que mesmo assim vale a pena.
A pessoa certa pra você pode estar te esperando
Mas pra isso você precisa ir, e se permitir amar
Do resto o tempo se encarrega
E numa dessas curvas tortas da vida vocês vão se encontrar
E imediatamente sentirão necessidade um do outro
E imediatamente saberão que todas as palavras acima fazem sentido.
Simplesmente saberão.
A pessoa certa pra você não é aquela que tem tudo em comum contigo...
A pessoa certa pra você é aquela que apesar das diferenças te aceitou como você é, 
Que é mais que seu parceiro, é seu amigo.


domingo, 17 de fevereiro de 2013

Poema: Onde mora a graça


Ele era um garoto diferente
Falava pouco e não era muito atraente
Das coisas da sua idade quase nada o interessava
Preferia o oposto, isso sim o alegrava.

Ele era um garoto que fugia do padrão
E por isso sonhava muito.

Passava horas inteiras construindo e destruindo mundos
Suas armas eram uma caneta e um pedaço de papel
Não se importava com as cobranças dos outros                                                             
Fazia suas próprias regras, tinha seu próprio quartel;

Ele era um garoto que fugia do padrão
E por isso sorria muito.

Sentava na varanda observando o luar
Por onde andava o outro alguém que ele sonhava encontrar?
Dava nome às estrelas, enxergava o além
Mas será que vale a pena sonhar com um amor que nunca vem?

Ele era um garoto que fugia do padrão
E por isso sofria muito.

E foi de tanto fugir dos padrões que eles acabaram o encontrando
O garoto, embora negasse, terminou neles se encaixando
E se tornou normal, e se tornou atraente, e se tornou popular
E se tornou apenas mais um adolescente.

Ele já não era um garoto que fugia do padrão
E por isso perdera a graça.

A graça foi procurar outro garoto para morar
Não muito longe dali encontrou a quem agraciar
E esse outro garoto sonhava em um dia encontrar
Alguém que fugisse do padrão, que não tivesse medo de sonhar.

Ele era um garoto que fugia do padrão
E agora tinha a graça.

E mesmo sofrendo porque sonhava
E mesmo sonhando pra sorrir
E mesmo sorrindo pra tentar não sofrer...
Era feliz.

Era feliz
Porque tinha graça.
Porque fugia do padrão.
Porque não era só mais um.



Sobre a foto:
A foto postada junto a este poema é do personagem Charlie, do filme As Vantagens de Ser Invisível. Sou o eu lírico deste poema, mas poderia ser ele. Sei lá, é tão engraçado quando um autor que nem imagina que você existe consegue escrever um personagem tão idêntico a você. Este sou eu, ele é Charlie. Nó dois conhecemos as vantagens de ser invisível, e uma das principais é ter o privilégio de ser a moradia da graça. Ainda estou tentando entender porque escrevi esta observação... Ah lembrei, fugir do padrão, não é?

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Entretenimento: Conheça The Carrie Diaries

 Ela é linda, loira, estilosa, ama Nova York e se chama Carrie. Não, essa não é uma matéria sobre Sex and the City. Mas tem tudo a ver...
Estou falando da nova série do canal americano The CW, The Carrie Diaries que estreou recentemente, dia 13 de janeiro. Trata-se de um prelúdio de Sex and the City e se propõe a contar a vida de Carrie e suas amigas quando ainda eram adolescentes.
A história se passa em 1984. Os episódios são narrados pela própria protagonista enquanto escreve em seu diário. Carrie (AnnaSophia Robb) é uma garota que acabou de perder sua mãe num acidente. Ela mora com o pai e sua irmã mais nova, Dorrit (Stefania Owen), com quem vive brigando. Junto com suas melhores amigas, Mouse (Ellen Wong) e Maggie (Katie Findlay) formam um trio inseparável. Mouse se apaixona por um garoto que conheceu na internet e é com ele que perde a virgindade, já Maggie namora o simpático Walt (Brendan Dooling) que, ao que tudo indica, é gay enrustido.
Carrie e Sebastian
Decidida a superar o trauma da perda de sua mãe, Carrie começa o primeiro ano do ensino médio. Lá estão todos os personagens típicos de séries escolares americanas, o trio de “vilãs” liderado por Donna (Chloe Bridges) e o galã politicamente incorreto Sebastian (Austin Butler). Aliás, é com Sebastian que Carrie descobrirá as alegrias e tristezas do primeiro amor. 
Ainda no primeiro episódio uma reviravolta mudará a vida da garota: ela consegue um estágio para trabalhar uma vez por semana em um escritório na ilha de Manhattan  Lá, conhece por acaso a editora-chefe de sua revista predileta, a excêntrica Larissa (Freema Agyeman) com quem acaba criando uma divertida amizade. Como em toda série adolescente, The Carrie Diaries se dispõe a discorrer sobre temas diretamente ligados a esta fase da vida: sexo, drogas, escolha da profissão, e por ai vai. Mas um dos grandes trunfos desta série é conseguir prender o expectador à história que se passa numa época onde os jovens não tinham celulares, computadores, máquinas digitais e toda essa parafernália eletrônica indispensável para a juventude moderna.
Da esquerda para a direita: Maggie, Walt,
 Mouse, Carrie e Sebastian
Carrie Diaries é daquelas séries que você se propõe a assistir e quando percebe o episódio já acabou, te deixando com aquele gostinho de “quero mais”. AnnaSophia está linda no papel que parece ter sido feito para ela e o elenco de apoio também não decepciona. A trilha sonora também é excelente, com vários clássicos de rock e pop dos anos 80, cantados por artistas como Madonna e The Smiths.
O canal The CW confirmou que a primeira temporada será produzida até o final e terá 13 episódios. Quem acompanha séries americanas sabe que sempre paira o medo da história ser cancelada se não obtiver sucesso, mas esse parece não ser um medo presente em The Carrie Diaries, a série que já começou encantando a todos. Vida longa à Carrie Diaries!

Nota (01/08/2013): Uma segunda temporada de The Carrie Diaries foi confirmada e já está em fase de gravações. Nesta temporada teremos a entrada da personagem Samantha Jones, uma das principais da era Sex and the City. Ela será vivida pela jovem e quase desconhecida atriz Lindsey Gort. A estreia ocorre no próximo dia 25 de outubro. Vamos esperar!

Fontes:
Todas as informações necessárias para a elaboração desta matéria, juntamente com as fotos, foram retiradas do site oficial do canal The CW.